Foto armadilhagem

A Biodinâmica realizou uma formação no uso de equipamento de armadilhagem fotográfica

 

No passado dia 3 de Junho, a equipa da Biodinâmica deslocou-se até ao distrito de Pemba-Metuge, para uma formação prática em metodologias de inventariação de fauna no campo e também para obter algum conhecimento científico da área.

A metodologia usada para este trabalho de campo foi a armadilhagem fotográfica, que consiste num método que faz uso de máquinas fotográficas colocadas sob algum suporte (normalmente árvores), para fazer estudos de monitorização de animais selvagens num determinado local.

As câmaras são posicionadas normalmente numa clareira numa zona de mato ou floresta, e preferencialmente de forma a fazerem registos diurnos e nocturnos, uma vez que é durante a noite que, no caso dos mamíferos, a actividade aumenta. O registo é feito através de um sensor de movimento, e o equipamento pode ser programado para registar ocorrências por meio de fotografias e/ou vídeos.

Além disso, esta técnica pode ser associada ao uso de um isco de forma a atrair indivíduos para a zona de alcance da câmara.

No âmbito desta deslocação foi possível capacitar os técnicos da Biodinâmica na instalação de armadilhas fotográficas, tendo-se instalado 4 máquinas em diferentes áreas do terreno, permitindo que os elementos da equipa adquirissem conhecimento nesta metodologia

No total, foi possível fazer o registo em fotografia e vídeo, da ocorrência de 6 espécies, nomeadamente de uma toutinegra (Pycnonotus tricolor), um picanço-tropical (Laniarius major), um manguço (Herpestes sanguínea), uma civeta africana (

A Biodinâmica possui equipamento específico para amadilhagem fotográfica e armadilhagem convencional (armadilhas Sherman), o que possibilita a prestação de serviços em Estudos e Monitorias de Biodiversidade em todo país, com destaque para a região norte.

DSC_0412

DSC_0423ViviLnk